DQPE e Diálogos Afrurbanos chegam à Zona Norte de SP

Chegamos à Zona Norte, Jd. Damasceno, após uma longa jornada que passou pelas Z/O e Z/L com uma programação de apresentações artísticas e oficinas de capacitação em Literacia Midiática com ênfase no desenvolvimento de produção cultural em diferentes formatos de mídia.  O projeto, nesta edição, conta com o fortalecimento da parceria junto ao MH2R e o projeto Diálogos Afrurbanos que foi realizado  nos dias 14, 21 e 28/11 na EE Pe. Antônio Velazco Aragon, no Taboão em Guarulhos e chega ao seu encerramento neste ano de 2010 no Jd. Damasceno, ponto de conexão entre a Z/N da Grande São Paulo.

O Ponto de Cultura Rede iVoz – Arte Urbana e Literacia Midiática – foi parceiro na realização de atividades pedagógicas e agora produz coletivamente o quarto evento da sua série programada de 5 eventos na cidade de São Paulo em seu primeiro ano de convênio.  Dia 12 de dezembro encerraremos as atividades com a realização do Harmônicas Batalhas no Centro Cultural da Juventude, também na Zona Norte.

Local: Núcleo Sócio Educativo Arte na Rua
End: Rua Talha Mar, 100 – Jd. Damasceno – São Paulo
Horário: das 9hs às 18hs

Basket de Rua – das 11hs às 15hs

Oficinas – das 9hs às 13hs
Break, MC, DJ, Graffiti, Fotografia e Xilogravura

Apresentações – das 13hs às 18hs
Grupos: Nocivo, Literatura Suburbana, ZoioOmc, Da Fina, Russo ML e Os 13 Fora da Lei

I Conferência Nacional de Economia Solidária da Cultura

Desde o início de 2010 o iVoz tem empreendido muito esforço para o fomento ao diálogo entre os fóruns de Pontos de Cultura e de Economia Solidária e, nesta semana 24 e 25 de novembro, chegará a um importante marco com a realização da I Conferência Nacional de Economia Solidária da Cultura, promovida por esforços governamentais do MinC, Senaes-MTE e Prefeitura de Osasco.

O GT de Economia da Cultura, do qual participamos, conta também com a fundamental participação do Massa Coletiva, de São Carlos, que está conosco segurando a responsa da documentação audiovisual do evento e da cobertura colaborativa.  Acompanhe as atualizações em nossas redes sociais.

Abaixo a programação completa:

Programação

Dia 24

Teatro Municipal de Osasco

Av. dos Autonomistas, 1.533 – Vila Campesina

9h – Apresentação artística Teatro Mágico e Doutores da Alegria

9h30 – Mesa de abertura dos trabalhos

14h – Painel temático: “Economia Solidária da Cultura: histórico e experiências”

Participantes:
Carol Tokuyo, integrante do Circuito Fora do Eixo
Ney Piacentini, presidente da Cooperativa Paulista de Teatro
Marly Cuesta, do Fórum dos Pontos de Cultura,Representante do Fórum Brasileiro de Economia Solidária

16h – Painel temático: “Políticas públicas de fomento à Economia Solidária da Cultura”

Participantes:
Dep. Jandira Feghali
Rosa Maria Leonardo Coimbra, Colegiado Setorial da Dança
TT Catalão, Secretario de Cidadania Cultural (a confirmar)
Representante da Senaes / MTE
Isabel Azevedo – UFRJ / Forproex

Viaduto metálico

centro de Osasco

19h as 23h– Atividade Cultural

Apresentações de música e teatro

Dia 25

UniFIEO

av. Franz Vogeli, 300, Vila Yara

9h – Mini-Conferências:

Temas:

– Finanças solidárias e crédito:
Representante da Rede Nacional de Bancos Comunitários

– Redes e coletivos:
Flavia Vivacqua – Nexo Cultural / Festival Reverberações e CORO Coletivo

– Cadeias Produtivas, Arranjos Produtivos Locais e comercialização
Genauto – ITCP/UFBA

– Propriedade Intelectual e Direito autoral
Pablo Ortellado – Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Acesso à Informação – EACH /USP

– Cultura Digital e Comunicação
Henrique Parra – Professor Unifesp
Sergio Amadeu (a confirmar)

– Organização e incubação de empreendimentos de cultura
Samuel Batista (Boca de Pano)
Gonçalo (COPPE / UFRJ)

– Etno-desenvolvimento

Facilitadores:
Gersem Baniwa – Educação Indígena no Brasil (a confirmar)

– Políticas Públicas

Facilitadores:
Representante MinC
Representante do Conselho Nacional de Economia Solidária

– Mercado e sustentabilidade de grupos de cultura
Fernando Kinas – Movimento 27 de Março
Representante do Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário

14h às 15:30h – Atividade Cultural prévia a assembléia final, enquanto participantes aguardam sistematização do documento final da conferência

14h – Reunião da comissão de sistematização de propostas das mini-conferências

16h – Plenária Final – Apresentação e votação do texto final da Carta de Osasco

1o. Seminário de Literacia Midiática

Ponto de Cultura Rede iVoz: Arte Urbana e Literacia Midiática convida para acompanhar presencialmente ou online.

Apertem os cintos. Rede iVoz já está operando.


Iniciaram neste sábado as atividades do Ponto de Cultura Rede iVoz: Arte Urbana e Literacia Midiática, com a oficina de software livre realizada em parceria com o Coletivo Digital e a Poli/GNU.  O encontro ocorreu na sede do Coletivo Digital e contou com uma programação de oito horas.

No período da manhã foi apresentado um panorama do software livre, seu modelo de organização e produção, além da apresentação de casos de desenvolvimento do Libre.dwg e do InkScape.  A tarde foram apresentados softwares de edição de imagem e de áudio.

Nesta capacitação também distribuímos os kits com laptop/3G para os agentes móveis da Rede iVoz.  Aqui nosso muito obrigado ao Raul, Wilken e Billy (Coletivo Digital) e ao Rodrigo (PoliGNU).

Ponto de Encontro com Célio Turino, no Pombas Urbanas

PombasUrbanas

Dia 22, às 19h, o idealizador do Programa Cultura Viva (MinC), Célio Turino, lança o livro “Ponto de Cultura – O Brasil de Baixo para Cima”, no Centro Cultural Arte em Construção, sede do grupo Pombas Urbanas, no bairro Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo.

No lançamento, o ex-Secretário de Programas e Projetos Culturais do MinC, expõe sua experiência e a importância do Cultura Viva se tornar uma lei, fato que pode inaugurar um novo caminho para as políticas públicas do país. O Programa, criado para fortalecer ações culturais já existentes em comunidades, atualmente, contabiliza 2.500 Pontos de Cultura pelo Brasil, dentre eles, o Pombas Urbanas, Ponto de Cultura desde o edital de 2004, ano em que o grupo pousou no bairro Cidade Tiradentes e revitalizou um galpão abandonado de 1.600m² para a construção do Centro Cultural Arte em Construção, um espaço comunitário de arte no extremo leste da capital.

O Pombas Urbanas apoia o Manifesto pelo Programa Cultura Viva e participa do Ato pela Cultura Viva.
Dia 30, domingo, às 15h
Casa das Caldeiras, Água Branca – SP

Abraços com asas!

Pombas Urbanas
Centro Cultural Arte em Construção (Instituto Pombas Urbanas)
Avenida dos Metalúrgicos, 2100 – Bairro Cidade Tiradentes – SP

Telefone: 11 2285-7758
Entrada Gratuita – Retirar ingresso com 1 hora de antecedência.
Classificação: Livre

Oficinas de Comunicação Compartilhada

O Ponto de Cultura Escola Livre de Comunicação Compartilhada abre inscrições para seminários sobre jornalismo colaborativo. Série começa em abril, aposta na possibilidade de produzir informação profunda na web 2.0 e visa ampliar equipe e cobertura temática das publicações.

Pela primeira vez desde que Gutenberg inventou os tipos móveis, surgiu, nas últimas décadas, a possibilidade de superar a mídia de mercado – construindo como alternativa a ela uma comunicação colaborativa e des-hierarquizada. Ainda não sabemos por quanto tempo permanecerá aberta a janela de oportunidade; nem se a transição se completará com êxito. O desfecho depende de iniciativas concretas que é preciso tomar agora, enquanto há espaço para agir.

Convencida das ideias acima, e poucas semanas depois de relançar a Biblioteca Diplô e Outras Palavras, a equipe responsável pelos sites está abrindo inscrições para oficinas semanais sobre jornalismo compartilhado. Constituem o projeto Escola Livre de Comunicação Compartilhada, transformado após seleção pública em Ponto de Cultura. Começam ainda em abril e se estendem até o final do ano. São gratuitas, têm versões presencial (em São Paulo, para até 20 pessoas) e à distância. Visam (além de exercitar a sempre gratificante troca de conhecimentos…) expandir rapidamente a equipe de colaboradores dos sites, o volume, abrangência temática e qualidade do material publicado.

Duas hipóteses complementares inspiram as oficinas. Primeira: se apropriada democraticamente, a internet cria condições inéditas para uma comunicação transformadora. Desde que surgiu o jornal moderno, há cerca de quatro séculos, existe – é claro – jornalismo crítico. E uma imprensa “de esquerda” apareceu já durante a Revolução Francesa, no mesmo instante em que se formou o espectro político-institucional com o qual ainda convivemos. Mas foi sempre um combate desigual. Enquanto a narrativa do presente precisar ser mediada por uma indústria, prevalecerão as visões de mundo com mais capital para contratar assalariados; montar parques gráficos, estúdios e centrais de produção; ter acesso equipamentos e tecnologia.

A novidade da comunicação compartilhada está em romper a hierarquização e a desigualdade que a acompanha. Se os seres humanos podem se comunicar sem intermediários, o poder dos grandes conglomerados de mídia dilui-se de modo dramático. A emergência da blogosfera expressa precisamente o desejo de comunicar uma infinidade de temas e pontos-de-vista que não cabiam na cobertura da imprensa: da vida pessoal e observações quotidianas de cada um às informações e análises antes proscritas ou marginalizadas.

NA NET, EM BUSCA DA PROFUNDIDADE:

Porém – e aqui, a segunda hipótese a animar os seminários –, a vitória sobre a velha mídia não são favas contadas. É preciso evitar o risco do autismo comunicativo: milhões de usuários dos novos meios satisfeitos por poderem se expressar, porém pouco preocupados em construir sentidos coletivos capazes de mudar o mundo. Neste esforço, há um aspecto relacionado a saberes: cada internauta tem o direito de conhecer e praticar os conceitos, linguagens, técnicas e tecnologias de comunicação jornalística que a humanidade construiu.

Nossos seminários nada têm a ver, evidentemente, com a formação universitária. Visam qualificar a ação e reflexão imediatas de quem produz jornalismo ligado à internet. Seu foco principal são as novas possibilidades abertas para captar informação em múltiplas fontes; checá-la a distância; retrabalhá-la, tornando-a acessível ao universo com o qual cada comunicador se relaciona; difundi-la da forma mais ampla possível.

O programa, que estará disponível nos próximos dias, trará novidades. Os capítulos dedicados à captação de informações, por exemplo, debaterão como acompanhar dezenas de fontes alternativas, em diversos idiomas, sobre qualquer assunto internacional relevante; e como organizá-las em sistemas de consulta eficiente. Os encontros sobre criação de textos discutirão a tensão entre a necessidade de comunicar rapidamente e a de assegurar a qualidade da forma. Uma sessão sobre direitos autorais revelará as formas de localizar e reproduzir conteúdo (inclusive imagens) na net e as vantagens (tanto ideológicas quanto pragmáticas) de manter aberto para reprodução o material que se produz. Embora a ênfase da iniciativa não seja a tecnologia, ela não será descuidada. O programa abordará, por exemplo, os últimos desenvolvimentos em plataformas para produzir programas de web-TV e web-rádio; os sistemas de tradução idiomática, suas vantagens e limites; a possibilidade de criar blogs multiusuários ou redes de blogueiros, usando programas como WordPress.

BREVE, MAIS CONVITES À COLABORAÇÃO:

Os participantes – tanto presenciais quanto à distância – serão convidados a contribuir ativamente com {Outras Palavras} e a {Biblioteca Diplô}. Parte deles (em especial os estudantes) será convidada a estagiar em nossa redação. Não há, nesta fase, recursos para remunerá-los, mas o aprendizado será valioso: vai-se praticar, no dia-a-dia, o que for debatido nas formações.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas num formulário sucinto, disponível aqui. Os seminários são apenas o início de uma expansão de nosso projeto. Outras Palavras e a Biblioteca Diplô, que já publicam artigos de colaboradores, que escrevem sobre temas específicos, ampliarão a abertura a este tipo de contribuição. Nas próximas semanas, farão chamadas para interessad@s em exercer atividades de webdesign, programação, publicidade alternativa, captação de recursos, administração e outras. Está em estudos constituir uma associação sem fins lucrativos, para reunir gente disposta a agir na prática por uma nova Comunicação. Também ela, estamos convencidos, pode e deve ser construída de modo colaborativo.

–>

Interessad@s em participar dos seminários devem inscrever-se aqui.

Os eventos ocorrerão às quintas-feiras, das 19 às 20 horas, a partir de 29 de abril. Presencialmente, ocorrerão em São Paulo, na sede da Revista Viração: Rua Augusta, 1239, conjunto 11.

Para maiores informações, escrever para pontodecultura@outraspalavras.net, ou chamar (11) 3449.3747, com Antonio ou Carolina.